sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Uma espécie de tradição

Há um ano, após a minha primeira passagem de ano como expat em solo romeno, rumei a Sinaia e subi até aos 2000 metros de altitude, para ver alguma neve e apreciar as vistas. Este ano dei seguimento a esta espécie de tradição recém-inventada e, no segundo dia de 2017, voltei às montanhas dos Cárpatos, desta vez até Predeal, a localidade mais alta da Roménia, a cerca de 1000 metros de altitude. Comparativamente ao ano passado houve mais neve, menos frio, melhor companhia e fotografias igualmente bonitas. Aqui ficam alguns registos do hiking de uma hora e pouco por uma floresta branquinha, qual winter wonderland, até à Cabana Susai, a 1350 metros.

Estação ferroviária de Predeal; Lá atrás, a igreja Sfinții Împărați Constantin și Elena, uma das mais bonitas em que já entrei.

Postal de inverno, com uma vista bonita para os montes Bucegi a partir de Predeal

Gosto de florestas, gosto de neve, adoro quando ambas se juntam.

Portão de entrada para a winter wonderland das florestas de Predeal.

Um troço do Rally da Suécia. Não é, mas podia ser.

Vista a partir da Cabana Susai (1350m)


Entretanto, algumas palavras para o natal. Depois da negritude de 2015, consequência do luto nacional pós-Colectiv, Bucuresti tornou-se em 2016 numa das capitais mais iluminadas da Europa. Mihai Doarna, um nome já aqui mencionado anteriormente, voltou a assinar uma produção interessante que mostra, em menos de um minuto, o ambiente natalício da capital romena.

Sem comentários: