terça-feira, 17 de maio de 2016

Chernivtsi e Suceava - Uma segunda oportunidade

Há uns posts atrás, escrevi que o destino da próxima viagem poderia ser Chernivtsi. Assim foi. A precisar de uma pausa no trabalho e de uma mudança de ares por razões romântico-afetivas, tirei dois dias de férias e meti-me num comboio rumo à região da Bucovina.

Primeira paragem: Suceava. Aquando da primeira passagem por esta cidade, na reta final da viagem à Ucrânia, pouco mais deu para ver que a estação de comboios Burdujeni (bem bonita, por sinal) até porque, estafados como estávamos, o que interessava era apanhar o quanto antes um comboio para Bucuresti. Desta vez, com mais calma e tempo, pude explorar a cidade devidamente. Destaco a Catedral Ortodoxa Naşterea Domnului, o conjunto formado pelas ruínas da Curtea Domnească e a igreja Sfântul Dumitru, a Strada Stefan Cel Mare e o Parcul Central, ladeado pela Biserica Catolica e pelo edifício da Prefectură. Para último, deixo o spot mais agradável de Suceava: a fortaleza medieval Cetatea de Scaun a Sucevei, acessível através de um frondoso espaço verde (Parcul Şipote-Cetate), paredes meias com a cidade.

 Catedral Ortodoxa Naşterea Domnului

Ruínas da Curtea Domnească e, ao fundo, a igreja Sfântul Dumitru

 Parcul Şipote-Cetate

 Cetatea de Scaun a Sucevei, de onde se obtém uma vista privilegiada sobre a cidade

Concluída a visita a Suceava, dirigi-me à Autogara para apanhar o autocarro que faz a travessia diária da fronteira com a Ucrânia. A viagem decorreu sem incidentes e, três horas mais tarde, lá estava eu em Chernivtsi, também para uma segunda visita a uma cidade que não deixou grandes recordações na primeira passagem. Acerca desta etapa da viagem não me vou alongar muito. Vou apenas dizer que que fui muito feliz em Chernivtsi, e que vivi ali momentos que irei certamente recordar por muito tempo. Talvez um dia aqui fale sobre isso.
Entretanto, ficam alguns destaques turísticos: a praça central e a rua pedonal dedicada à escritora Olha Kobylianska, com uma arquitetura marcada pelos tempos em que a cidade fez parte do Império Austro-Húngaro (com o nome de Chernowitz), que lhe vale a alcunha de "Little Vienna"; os edifícios da antiga residência episcopal, atual Universidade, e os seus bucólicos jardins; e o extenso parque Shevchenko, um ponto de tranquilidade junto à movimentada rua Holovna.

 Rua Olha Kobylianska

Edifício da Câmara Municipal na praça central de Chernivtsi 


Universidade de Chernivtsi

A título de curiosidade. referir ainda que Chernivtsi integrou a Roménia no período entre guerras (1918-1944), com o nome de Cernăuți, e que em 1983 nasceu nesta cidade uma das mais belas atrizes de Hollywood, de seu nome Mila Kunis.

O regresso à Roménia foi feito no mesmo autocarro velho de matrícula ucraniana, com o mesmo condutor, que no fim até foi um gajo porreiro e me trocou por lei as 350 hryvnas que trazia na carteira. Mais uma travessia tranquila, até Suceava, longe da aventura que aconteceu em Dezembro último. Cheguei a Bucuresti ao final da tarde de domingo, ainda a tempo de dar uma pequena corrida no Parque Herăstrău e de acabar a noite em boa companhia, a comer Cozonac e a beber vinho do Porto.

E foi isto. Quanto a próximas viagens, a travessia da Transfăgărășan tem de acontecer este verão, no matter what. E a Grécia, que está aqui pertinho e acessível por voos low-cost, também é um destino a considerar.

Sem comentários: