terça-feira, 8 de março de 2016

Fado e Futebol

No último sábado de Fevereiro, a fadista portuguesa Ana Moura atuou em Bucareste. Estive lá a assistir ao concerto, não tanto por ser fã da artista (passei a ser entretanto), mas por achar interessante ver um espetáculo de música Portuguesa (e nada melhor que Fado) num país estrangeiro. E foi com alguns laivos de orgulho patriótico que vi uma Sala Palatului bem composta, a vibrar com os acordes da guitarra portuguesa e a aplaudir uma atuação cantada integralmente na língua de Camões, apesar de grande parte da assistência não a entender.
"Fado Loucura" foi uma das interpretações que mais me agradou ouvir e mais goosebumps me causou. O vídeo a seguir não se refere a Bucareste, e até já tem uns anitos, mas é bom na mesma.


E depois de fado... futebol. Há uns dias, numa decisão de última hora, fui a Stefan Cel Mare assistir a um derby entre Dinamo e Steaua. Sem saber bem como, acabei a ver o jogo no meio das claques afetas ao Dinamo, e a entoar com eles cânticos de incentivo aos Câinii Roşii (Cães Vermelhos), ou ao Sporting quando não conseguia acompanhar a letra. Quanto ao jogo, foi uma grande treta e acabou empatado a zero, mas valeu pelo ambiente na Pelusa Cătălin Hîldan, a bancada dedicada ao antigo capitão do clube, falecido em campo aos 24 anos.
Se já simpatizava com este emblema, por ser o clube de origem de Marius Niculae (infelizmente já por lá não anda), a partir de agora o meu clube na Roménia é oficialmente o Dinamo Bucuresti. Haide Dinamo!



Entre o fado e o futebol não houve religião, mas teve lugar a anunciada viagem à Bulgária. Logo cá escrevinharei algumas coisas a esse respeito.

Sem comentários: