quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Regresso a Sinaia

Há locais que não me importo de visitar novamente, uma e outra vez. Sinaia é um desses locais. Depois de por lá ter andado no verão, aproveitei o primeiro dia do ano para regressar a este sossegado vilarejo de montanha, na expectativa de o encontrar envolvido num manto de neve. O dia inaugural de janeiro trouxe, no entanto, uma meteorologia quase primaveril que, apesar de ter defraudado as expectativas no que à neve diz respeito, permitiu um agradável passeio pelas ruas de Sinaia e pelas imediações da sua jóia da coroa - o Palácio Peleș.


Neve só mesmo no alto das montanhas. E se na visita estival não subi lá acima, desta vez decidi-me a pagar 50 lei por uma viagem de ida e volta no teleférico, all the way até à Cota 2000. Valeu a pena, pela neve e pelas vistas.




Antes disto, houve uma passagem de ano um pouco desapontante. Passei os últimos momentos de 2015 e os primeiros de 2016 na Piața Constituției, no centro nevrálgico de Bucareste, a olhar para a enorme fachada do Parlamento, à espera que acontecesse ali alguma coisa. Um burro a olhar para um palácio, literalmente... e não se passou nada. Indeed, no centro de uma capital europeia nada houve para assinalar a efeméride, fosse um relógio a fazer countdown, um concertozito foleiro ou um breve fogo de artifício. Pelo menos o metro funcionou toda a noite, pelo que pude voltar para casa sem ser chulado pelos taxistas.

Piața Constituției na passagem de ano

Entretanto já marquei férias para ir a Portugal. Irei no final de janeiro, oito meses após ter desertado. Sou mesmo um emigrante atípico, até na altura do ano que escolho para voltar ao meu país. Que se lixe lá agosto. E escusado será dizer que, também ao contrário do que é normal num emigrante, as saudades que tenho daquilo são poucas ou nenhumas. Mas tenho de lá dar um salto, antes que os meus progenitores se esqueçam que eu existo.
Para completar a atipicidade de tudo isto, falta-me referir que, para chegar a Portugal, vou aterrar... em Madrid. Voar para Lisboa na TAP fica caro, e a Ryanair faz Bucareste-Madrid por 65€, ida e volta. Aproveito para visitar a capital espanhola como bónus, enquanto espero pelo comboio que me levará para lá de Vilar Formoso. Vou ficar por terras lusas uma semana e meia. Coza-se. Só de pensar nisso, já sinto vontade de voltar para Bucareste, e ainda nem de cá saí...

Sem comentários: