segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Cemitérios e outras cenas

Não tenho colocado nada neste espaço, pelo que é melhor escrever qualquer coisa. Não é que seja algo imperativo, até porque ninguém quer saber deste blog (nem de mim) para nada. Mas quando for um velho solitário vou precisar de escritos da minha juventude para dar largas à nostalgia, por isso cá ficam mais uns rabiscos.
Viagens, infelizmente não houve mais. Tenho intenções de ir a Brașov, a Sibiu, a Sighişhoara, a Iaşi, à Moldávia, a Kiev (falta passaporte, caraças) e a mais uma série de sítios, mas perante a falta de oportunidade fiquei por Bucareste, explorando mais um pouco desta cidade.
Num desses passeios saí na estação de metro de Eroii Revoluției, onde se encontra, como o próprio nome indica, um espaço dedicado aos heróis da revolução de 1989. Este memorial, guardado por três bandeiras tricolores, serve de última morada a todos aqueles que deram a vida na luta pela democracia no país, durante a insurreição que pôs fim à ditadura de Nicolae Ceauşescu. Integrada neste espaço situa-se uma bonita igreja – a Biserica Eroilor Martiri, também dedicada aos mártires da revolução – que tentei visitar, mas não foi possível por estar ali a decorrer um casamento. 
Logo ao lado, encontra-se o maior e mais importante cemitério da capital romena – o cemitério Serban Voda, também conhecido por Bellu. Para além da curiosidade em conhecer um cemitério ortodoxo, o que me trouxe a este local foi o facto de ali estarem sepultados artistas, cientistas, escritores, poetas e políticos.

Igreja de Eroii Revoluției

Memorial aos heróis da Revolução de 1989

Seguindo pela Soseaua Oltenitei, que passa junto ao cemitério, há uma entrada para aquele que é um dos maiores espaços verdes de Bucareste – o Parcul Tineretului, que é como quem diz o parque da juventude. Percorri-o, tirei umas fotos e fiquei maravilhado com o espaço (a sério, vale a pena vir a Bucareste só pelos parques). Falta-me ainda conhecer o Parcul Carol I, que é logo ao lado, mas como se fazia tarde deixei para outra ocasião. Logo lá irei, nem que seja só em Novembro, aquando do concerto dos Korpiklaani na Arenele Romane (já tenho bilhete).

Parcul Tineretului

Meanwhile, o meu domicílio romeno abriu-se ao Couchsurfing. Comecei por oferecer alojamento a duas moças polacas, que recusaram por já terem onde ficar. Mas apesar disso, marcámos um encontro no Centrul Vechi que durou até altas horas da madrugada (era domingo, na segunda-feira trabalhava-se, mas who cares?). Ah, e ganhei um convite para ir a Gdańsk. Entretanto pernoitaram aqui duas brasileiras, depois disso dois sérvios, e na próxima semana deverão vir duas raparigas espanholas. Ainda ninguém roubou nada ou fez alguma coisa de mal. Começo a confiar nisto, e espero ficar com contactos e referências para que me comecem a dar dormida em eventuais viagens. É que a vida está cara até para hostels.
E é tudo. Não tinha grande coisa para dizer, e acabei a escrever quase 3 mil caracteres. Porra lá para mim.

Sem comentários: