segunda-feira, 29 de junho de 2015

Um museu e mais dois parques

Depois de um fim-de-semana chuvoso, que me manteve dentro de portas grande parte do tempo, voltou o sol, e com ele voltaram os passeios por București. A ideia inicial até passava por ir a Brașov de comboio, mas como não se tratava de lonely traveling, esse plano acabou por não se concretizar. Que se lixe, oportunidades não haverão de faltar para lá ir.
Como não saí da capital, aproveitei para visitar um museu que estava na minha lista desde que pus os pés nesta terra: o Muzeul National al Satului, também conhecido como Village Museum. Trata-se de um museu ao ar livre, que expõe edifícios típicos, trazidos de todo o país, um pouco à imagem do finlandês Seurasaari Open Air Museum  que tanto me agradou (tenho de publicar o texto que escrevi da viagem à Finlândia, para que se perceba do que estou a falar). E a verdade é que as expectativas não saíram defraudadas. Comparativamente ao museu insular de Helsinki, este Village Museum é maior, e mais completo, pois para além de casas, igrejas, quintas e moinhos, é possível encontrar muito artesanato à venda.
O Muzeul Satului integra-se no Parcul Herăstrău, um grande espaço verde dominado pelo lago homónimo, e pontuado por estátuas de figuras ligadas à arte, que merece igualmente uma visita. Nas imediações do parque, encontra-se a Casa Presei Libere ("casa da imprensa livre"), um edifício de arquitetura estalinista, datado dos anos 1950, e que até há bem pouco tempo era a construção mais alta da cidade. Continua a servir para aquilo que foi criado, reunindo entre outros serviços a imprensa de Bucareste. Uma visita quase obrigatória para quem estudou jornalismo (embora esteja fora da área, e cada vez me interesse menos por ela, se é que alguma vez me interessei). Para acabar o passeio, fui conhecer o jardim de Cismigiu, um espaço verde mais pequeno, colorido e acolhedor. Ficam as habituais fotos:

Parcul Herăstrău

Lago Herăstrău, com a Casa Presei Libere ao fundo


Esculturas na Insula Trandafirilor (Parcul Herăstrău)

Muzeul National al Satului

Venda de artesanato no Muzeul National al Satului

Casa Presei Libere

Grădina Cișmigiu

Lago do jardim de Cișmigiu


Quanto ao fim-de-semana anterior, apesar da chuva fui ao maior "flea market" de Bucareste, também conhecido como gipsy market: o Târgul Vitan. Uma feira semelhante aos mercados semanais de Gouveia ou Seia, com a ligeira diferença de ser muito maior, e de se vender lá de tudo, desde as normais roupas e perfumes até peças para automóveis, entre artigos em segunda mão e muita outra tralha que eu não faço ideia para que serve. Paguei 3 lei (cerca de 70 cêntimos) para entrar, e não comprei nada, mas foi bom na mesma, pelo contacto que tive com a essência da Roménia.
Agora começa mais uma semana de trabalho. Voltarei a pôr aqui qualquer coisita quando tal se justificar. Espero que tal aconteça no próximo fim-de-semana, com mais um passeio.

Sem comentários: